15.4.11

"A ribeira vai cheia e o Barco não anda"

Photobucket

No meu 1ºpost de Primavera 2011, partilho a atmosfera única de Lula Pena.
Primeiro foi “Phados” (1998), doze anos depois edita,"Troubadour". Lula Pena só precisa da sua voz e guitarra para nos envolver num espírito de rapsódia percorrido nos seus trabalhos. Lula Pena intitula o estilo como "colagens em aberto". Numa melodia, a interpretação de Lula Pena atravessa o fado, a música brasileira, mediterrânea e francesa, mas em rigor só um tema é da sua autoria. Com esta particularidade ela consegue fazer com que o ouvinte passe por uma panóplia de sentimentos numa só música. Um Dom único desta Cantora contemporânea Portuguesa.
Para o comprovar partilho (Acto VI) do no seu último álbum (Troubadour - 2010).

06. Lula Pena - [Troubadour] - Acto VI.mp3









1 comentário: